Uma reflexão sobre Felicidade e Prazer. Saiba mais sobre a Ecofelicidade no corpo.

É possível associar a felicidade com a busca do prazer e a prevenção da dor. Pesquisas científicas têm confirmado que buscamos, instintivamente, o prazer e que estas ações, incluindo aquelas que podem ser interpretadas como virtuosas ou altruístas, têm, em última instância, contribuído na construção de sociedades mais felizes, solidárias e organizadas. 

Nossas palestras sobre o binómio Felicidade e Prazer estão baseada nas ideias de Epicuro que considera três tipos de desejos que se satisfazem gerando prazer:

 (1) desejos naturais e necessários, como aqueles associados à comida e ao abrigo, que são difíceis de omitir, mas são naturalmente limitados e fáceis de satisfazer;

(2) desejos naturais, mas não necessários como os sexo ou os abusos gastronômicos e das acomodações luxuosas que estão presentes na vida de muitos;

(3) desejos não naturais e não necessários como os de fama, poder ou riqueza que são difundidos pela sociedade capitalista e que, ilimitados, são difíceis de satisfazer. 

Um tipo de cálculo hedonístico é aplicado para determinar quais situações têm probabilidade de resultar em prazeres duradouros e sadios ou, em contrapartida, efêmeros e deletérios.

As apresentações trazem uma abordagem diversificada, quando são tratados temas como altruísmo, importante fonte de prazer e felicidade e outros prazeres naturais e necessários. É dado destaque, também, para temas como sexualidade e sexo sadio como outras fontes de prazer, e o devido combate à valorização excessiva da riqueza e do poder.   

Para saber mais sobre as palestras que abordam o tema: Ecofelicidade no Corpo, clique AQUI e FAÇA CONTATO com nossos Gestores



REDE CIDADANIA

Equipe Gestora



Voltar para a HOME